Nevermind: The Music Source (Parte 3)

The Music Source
1 de Janeiro de 1991 – Seattle, Washington, EUA



«Não correu lá muito bem. [O estúdio] só é bom para gravar anúncios da Nordstrom.»

(Kurt Cobain)


Nirvana:
Kurt Cobain (voz, guitarra)
Krist Novoselic (baixo, guitarra)
Dave Grohl (bateria)

Crew:
Craig Montgomery (produtor)
Brian Nelson (engenheiro de som)

Alinhamento:
[O] Aneurysm [Smells Like Teen Spirit, 1991]
[O] Even In His Youth [Smells Like Teen Spirit, 1991]
[N] Oh, The Guilt (instrumental)
[O] All Apologies [In Utero, 2013 – Deluxe Edition] (rascunho dos vocais com Novoselic na guitarra acústica)
[N] On A Plain (rascunho dos vocais)
[N] Radio Friendly Unit Shifter (rascunho dos vocais)
[N] Token Eastern Song (rascunho dos vocais)
Legenda: [O] Oficialmente editado / [N] Não oficial / [X] Não editado
Nota: Devido a um bug, o Spotify nem sempre irá tocar a música correspondente à ligação, direccionando o ouvinte para o álbum onde a faixa está inserida. Para chegar à faixa certa, o link deve ser copiado e colado directamente no campo de pesquisa da aplicação do Spotify.

Com a chegada de Dave Grohl em Setembro de 1990, os Nirvana levaram a cabo inúmeros ensaios que geraram a composição de dezenas de novos temas, em que alguns chegariam apenas à sua forma final já em “In Utero”, editado três anos depois. A banda definia o objectivo de gravar algumas destas novas composições, no entanto a Sub Pop enfrentava um período algo turbulento, tornando este projecto financeiramente impossível de realizar. Apesar dos obstáculos, os Nirvana decidem seguir em frente com o plano e dão entrada no The Music Source, um estúdio em Seattle onde já haviam gravado o EP “Blew”, em 1989. Tudo isto acontecia com os Nirvana ainda sob exclusividade da Sub Pop.

Steve Fisk, que trabalhava no The Music Source, confirma que a sessão de estúdio era realmente uma empreitada pessoal: «Estas gravações não estavam destinadas à Sub Pop nem nada que se pareça. Era algo que os Nirvana estavam a fazer com o Craig Montgomery, que era o técnico de som deles, e amigo de um tipo chamado Brian Nelson que trabalhava no estúdio.» Foi através desta ligação entre Montgomery e Nelson que os Nirvana conseguiram ter acesso ao estúdio de forma gratuita.

Com as gravações e a mistura a ter a duração de apenas um dia, esta sessão conduzida no primeiro dia do ano de 1991 viu os Nirvana gravarem “Aneurysm” e “Even In His Youth”, que seriam mais tarde disponibilizadas no single de “Smells Like Teen Spirit”, assim como versões de “Oh, The Guilt”, “All Apologies”, “On A Plain”, “Radio Friendly Unit Shifter” e “Token Eastern Song”. «Eles tinham algumas músicas que queriam deitar cá para fora e já fazia um tempo que os chateava para que me deixassem gravar com eles», conta Montgomery. «Foi tudo muito cru. Tocavam as músicas ao vivo e então o Kurt decidia se gravava ou não a voz. Era tudo gravado ao primeiro take.» Como seria de esperar, o resultado não era mais do que um rabisco: «Não correu lá muito bem», diria mais tarde Cobain a Dawn Anderson, da revista Backlash. «Aquele lugar só é bom para gravar anúncios da Nordstrom.» «E Kenny G!», acrescentaria Novoselic. «Queremos editar um EP mas isso não vai acontecer.»

Apesar das dúvidas, a DGC Records de David Geffen viria a adquirir as gravações por uma quantia de 600 dólares. Os únicos dois temas finalizados, nomeadamente “Aneurysm” e “Even In His Youth” seriam remisturados por Andy Wallace e editados como B-sides do single “Smells Like Teen Spirit”. Outros dois temas ganhariam uma nova oportunidade em Fevereiro de 1993, no Pachyderm Recording Studio com Steve Albini. Montgomery comenta: «É engraçado pois embora a sessão no The Music Source tenha ocorrido antes da edição de “Nevermind”, algumas dessas faixas acabaram por entrar no “In Utero”. Então, quando ouvi o “In Utero”, fiquei surpreendido e disse ‘Nós gravámos isto!’ Creio que entre a sessão que gravei e o momento em que gravaram “Nevermind”, o Kurt terá criado outras músicas das quais gostou mais. Talvez ele não tivesse assim tantas ideias quanto isso quando chegou a altura de gravar o “In Utero” e tenha regressado ao material anterior.»