Os vídeos de “Rape Me” e “All Apologies” pela mente de Kurt Cobain

“Nevermind” ofereceu-nos uma mão cheia de videoclips. A começar pelos hits “Smells Like Teen Spirit” e “Come As You Are”, os Nirvana fariam ainda chegar ao seu público vídeos para faixas como “Lithium” e “In Bloom”. Lançado em 1993, “In Utero” não teve a mesma sorte. Devido à morte prematura de Kurt Cobain, “Heart-Shaped Box” seria o único vídeo promocional do álbum a chegar às TVs, apresentando um conceito bem mais aprofundado e visualmente desafiante do que os seus antecessores, e a julgar pelos diários de Kurt Cobain, seguir-se-iam “All Apologies” e “Rape Me”, onde a tendência não só era dar continuidade a essa linha mas trazer também novos elementos de choque.

Tal como aconteceu com “Heart-Shaped Box”, Kurt Cobain elaborou um guião (desta vez desacompanhado de desenhos) para o vídeo de “Rape Me”. Na primeira de duas folhas, numa carta destinada ao realizador em que se lê a indicação “vídeo a preto & branco” anotada com uma caligrafia maior no topo da página, Cobain escreve:

«Em termos simples, é isto:

Vai a uma ou mais prisões e filma retratos dos criminosos mais feios e endurecidos que estiverem disponíveis. De preferência carecas, grandes, peludos e com tatuagens. Filma pelo menos 20 ou mais jovens sentados nas suas celas, em cabines de visita e nas mesas. Do peito para cima. Vamos precisar de pelo menos 5 a 10 putas masculinas magrinhas com sombras espessas nos olhos e com as camisolas da prisão enroladas. A parte de baixo da camisola deve estar amarrada para ver-se os seus estômagos.

No verso “My favorite inside source, I’ll kiss your open sores, Appreciate your concern, You’re gonna stink and burn” vamos precisar de imagens de uma conferência de imprensa caótica repleta de jornalistas com câmaras de vídeo e flashes de fotografia, no exterior, nas escadas de um tribunal.»

A segunda nota regista mais alguns pormenores. Numa caligrafia bem mais limpa, e agora escrito com uma caneta fina, Kurt Cobain detalha os planos que pretende ver filmados, assim como o vestuário a usar. Outras ideias são aqui descritas: mãos que se esfregam violentamente com sabão, roupas que «imploram para que sejam limpas», e uma transição de preto & branco para cor, «à medida que as mãos ficam limpas». Lírios e orquídeas (descritas por Kurt Cobain como «flores vaginais«) florescem nos seus tons coloridos em timelapse, apenas para murcharem e encolherem. Também cavalos marinhos são introduzidos no conceito do vídeo, flutuando serenamente enquanto «amam a vida e uns aos outros». No final? Um homem deitado numa cadeira ginecológica, com os pés nos suportes.

Nenhuma destas ideias seria concretizada, pelo menos da forma que Kurt Cobain as concebera. “Rape Me” encontraria o seu lançamento em single numa espécie de duplo Lado A juntamente com “All Apologies”, onde a capa mostra-nos o cavalo marinho tão adorado por Cobain. Também um vídeo para este último tema estava a ser idealizado, com o conceito visual a ser descrito pelo comediante Bobcat Goldthwait, conhecido pelo público Português como Zed, o polícia maluco de “Academia de Polícia”, e que foi convidado para abrir alguns concertos da digressão de “In Utero” com o seu número de comédia. O comediante juntar-se-ia igualmente à banda no vídeo promocional de “In Utero” (ver abaixo).

Segundo Goldthwait, o vídeo de “All Apologies” apresentaria um Kurt Cobain bêbado numa festa. O comediante sugeriu que Cobain se vestisse como Lee Harvey-Oswald (assassino do Presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy), a cantar para a câmara enquanto apontava uma arma ao School Book Depository do Texas, o local original do assassinato. Cobain terá dito a Goldthwait que a MTV não permitia armas de fogo nos vídeos, ao que este sugeriu que trocasse a arma por uma tarte, com Krist Novoselic ou Dave Grohl a fazer de Kennedy e a levarem com a tarte na nuca. Kurt Cobain terá gostado da ideia, no entanto, pelas mesmas razões de “Rape Me”, também “All Apologies” não deu origem a um vídeo. No seu lugar, a MTV escolhia a performance da música no MTV Unplugged.